PERDENDO A MEMÓRIA

avaliacoes reabilitacoes neuropsicologicas 181

PERDENDO A MEMÓRIA (12 NOV 2019)

Está preocupado sobre perda de memória? Só não esqueça de procurar o especialista

Certas situações do nosso dia a dia, às vezes, passam despercebidas, como voltar em casa porque esqueceu o celular, a bolsa ou a carteira. Pode ser que isso não seja preocupante nesse momento. Entretanto, o que precisa ser observado é se isso acontece com frequência.

As nossas lembranças ficam gravadas na memória de curto ou longo prazo, variando conforme o tipo de recordação e sua a importância para nós.

É basicamente assim:

A memória de curto prazo separa as informações que a gente precisa temporariamente, como uma lista de compras do supermercado. E a de longo prazo, como o próprio nome diz, salva as lembranças por mais tempo, como, por exemplo, o nome da primeira escola onde estudou.

Perda de memória é associada a vários motivos. Alguns deles são: alterações no sono, ansiedade, depressão, uso de remédios e doenças neurológicas, como Alzheimer, Demência e Transtorno Mental.

Certo! Mas o que fazer ao perceber os sintomas?

Esquecimentos esporádicos, principalmente, em momentos de muito cansaço ou de choque emocional, costumam ser aceitáveis. Agora, tornando- se repetitivo e atrapalhando a rotina diária, é recomendável passar por avaliação de um médico especialista.

Confira alguns sinais que podem ser observados no seu cotidiano:

  • Confusão mental, desorientação, falta de atenção e foco nas atividades
  • Problemas no sistema nervoso, dificuldades de se comunicar, 
raciocínio lento, problemas de visão ou tontura 
No consultório, o médico analisa o histórico de saúde do paciente, bem como se há casos na família. Além disso, existem testes cognitivos, físicos e laboratoriais que auxiliam no diagnóstico mais preciso para a perda de memória.

Testes físicos e laboratoriais contribuem para identificar se a causa do esquecimento provém de deficiências vitamínicas, distúrbios do metabolismo, infecção e até efeitos de medicamentos.

A avaliação cognitiva verifica as funções psicológicas, como concentração, capacidade de contagem, orientação visual, memória, resolução de problemas e outros.

Os testes mais comuns são:

  • Exame do Estado Mental – avalia as capacidades de ler, escrever, orientação e memória
  • Escala de Avaliação para a Doença Alzheimer – também avalia as capacidades citadas acima, porém, de maneira mais aprofundada
  • Exame Neuropsicológico – analisa a memória recente, a aptidão para copiar imagens ou figuras, o raciocínio e a compreensão

Quem é diagnosticado com perda de memória, fica submetido ao tratamento que ajuda a restaurar suas recordações. Dentre os recursos terapêuticos, há o Treinamento para Memória.

Baseado em uma série de exercícios, sua finalidade é trabalhar atividades cognitivas diretamente associadas à memória. São elas:

  • Memória de trabalho
  • Denominação
  • Memória a curto prazo
  • Memória visual a curto prazo
  • Memória auditiva a curto prazo
  • Memória não verbal
  • Memória contextual 
Por meio de um conjunto de jogos e tarefas interativas, é possível obter melhoras significativas das habilidades cognitivas. 
Lembre-se: ao perceber qualquer indício citado aqui, procure o médico especialista. Combinado?

A Medical Tecnica é uma empresa especializada em: 1) baterias avançadas de avaliações neuropsicológicas computadorizadas para detectar deficiências cognitivas relacionadas à idade, Alzheimer, TDAH, dislexia, depressão, Parkinson, discalculia, etc. 2) programas de treinamento, reabilitação e estimulação para queixas de memória. Solicite uma apresentação

 

PERDENDO A MEMÓRIA
Rolar para o topo